terça-feira, 31 de março de 2009

Sobre critérios de seleção

Logo após a divulgação dos resultados da etapa II de seleção do Grupo de Estudos do Trabalho do Ator, recebemos alguns e-mails de participantes que queriam saber como foram feitas as duas etapas dessa seleção. Na primeira etapa a avaliação dos participantes foi feita por mim e pela arte-educadora Kyara Muniz. Na etapa II do GE do Trabalho do Ator, essa dupla passou a contar com a colaboração da atriz e produtora Nilza Lisboa. Os critérios de seleção que nos orientaram nas duas etapas foram:

a) Experiência a compartilhar dentro do tema "Trabalho do Ator", o que inclui tanto o currículo quanto o que se evidencia naturalmente na argumentação;

b) conhecimento demonstrado sobre o tema do GE, tanto nas respostas do questionário quanto nas do exercício sobre o texto teórico fornecido para a etapa II;

c) clareza de objetivos pessoais e sintonia com a proposta do Grupo de Estudos, conforme conteúdo da argumentação nas respostas do questionário de inscrição e do exercício com o texto teórico na etapa II;

d) escrita (clareza, estilo, fluência, ortografia), já que se trata de um grupo de estudos onde também haverá produção de conhecimento bem como o registro dessa produção; e, finalmente,

e) demonstração de habilidades de interpretação e improviso, incluindo-se aí a leitura do texto fornecido repentinamente na etapa II. (critério exclusivo para a etapa II).

Usamos o sistema de pontos por critério buscando chegar a uma imparcialidade. Porém, se a definição de critérios organiza o processo, não alivia o desconforto e a tristeza de constatar e comunicar quem ficará de fora desta vez. E o resultado nunca agrada, ainda mais quando fica clara a variedade de talentos e habilidades de todos os participantes. Se todos têm qualidades, qualquer ponto a mais ou a menos, neste ou naquele critério, acaba sendo decisivo.

2 comentários:

  1. Eduardo Japiassú3 de abril de 2009 18:29

    Participar de um processo seletivo, sendo candidato, para qualquer trabalho, não é fácil. Para um ator, acredito que é ainda mais complicado, uma vez que costumamos trabalhar com a emoção se sobrepondo à razão. Mais uma vez, saio com a nítida impressão de como é bom participar, tentar, realizar. Claro que ficar no grupo era o objetivo de todos, mas é precisamos valorizar a experiência da participação no processo seletivo. Dali, saímos maiores, melhores. Quero deixar aqui, também registrado, que sei o quanto é difícil julgar, escolher. Como candidato, queria parabenizar a equipe organizadora. A 'massagem sem fio' foi uma excelente maneira de nos receber, as perguntas sobre o texto acredito que foram fundamentais na escolha e, por fim, o último exercício, que foi delicioso. Parabéns a todos nós!

    ResponderExcluir
  2. Eduardo Japiassú3 de abril de 2009 18:31

    Participar de um processo seletivo, sendo candidato, para qualquer trabalho, não é fácil. Para um ator, acredito que é ainda mais complicado, uma vez que costumamos trabalhar com a emoção se sobrepondo à razão. Mais uma vez, saio com a nítida impressão de como é bom participar, tentar, realizar. Claro que ficar no grupo era o objetivo de todos, mas precisamos valorizar a experiência da participação no processo seletivo. Dali, saímos maiores, melhores. Quero deixar aqui, também registrado, que sei o quanto é difícil julgar, escolher. Como candidato, queria parabenizar a equipe organizadora. A 'massagem sem fio' foi uma excelente maneira de nos receber, as perguntas sobre o texto acredito que foram fundamentais na escolha e, por fim, o último exercício, que foi delicioso. Parabéns a todos nós!

    ResponderExcluir