segunda-feira, 22 de junho de 2009

Texto 04 - "Eu a quero perto de mim"

Onézia Lima criou seu texto em 06 de maio de 2009, definindo um clima de tensão e expectativa temperado com humor fino e uma boa finalização. Esse monólogo foi interpretado por Eduardo Japiassu (foto) que, mesmo recorrendo a um modo diferente dos outros que usaram o mesmo espaço, também valorizou a proximidade da platéia no palco-corredor. A base naturalista de interpretação aliada ao domínio técnico do ofício criou no trabalho de Eduardo um interessante paradoxo pois, apesar da proximidade imediata, ele tanto manteve o personagem isolado em sua intimidade quanto tornou a platéia cúmplice invariável daquele instante auto-confessional. Se você quiser saber mais sobre esta e outras apresentações, clique aqui.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

HOMEM/EDUARDO
(OLHANDO PARA UM ESPELHO) Sou um idiota. Sim, você mesmo, Eduardo. Você, idiota. Sabe que ela não lhe ama. Nem liga para você. E continua nessa mesma agonia, Nesse chove e não molha. (OLHA PARA O LADO) É ela? Estou sem ação. Não consigo nem controlar minha respiração. Estou gelado, tremendo. Boca seca. Coração batendo forte. Não é ela. Foi impressão. Como sempre tenho essa ilusão de que um dia ela venha até mim. Descubra como a amo. Como quero fazer parte do mundo dela. De saber seu dia-a-dia. Sei que ela nem percebe isso. Trata-me muitas vezes como um estranho. Mas, tem vezes que parece tão próxima. Tem vezes que até parece gostar de mim. Fico feliz de só vê-la. De saber que está bem feliz! Mas que sorriso lindo ela tem! E aquele cabelo tão angelical. Lembra o da minha mãe. Poxa, nunca tinha notado como elas se parecem. Os mesmos cabelos ruivos, lindos! Eu a quero perto de mim. Quero que um dia me olhe e diga: papai.

Um comentário:

  1. Fiquei encantado com a atuação de Japiassu nessa cena. =D

    ResponderExcluir